Minha primeira vez como mãe.

0 Comentários


Quando conheci o marcos sabia que ele seria o pai dos meus filhos, não é porque ele é meu marido, não sou hipócrita e não estou puxando o saco, ele é um ótimo pai, marido e homem, sabe aquele cara que participa de tudo e te ajuda em tudo? então, ele é assim. como não amar um cara desses, companheiro para todas as horas e era assim que eu pensava que seria o pai dos meus filhos.

Durante a minha adolescência descobri que eu sofria do mesmo male que muitas mulheres sofrem, o ovário policístico  e isso só não prejudicava a minha saúde mas também meu psicológico, eu sempre sonhei em ser mãe e escutava dos médicos que teria muita dificuldade em engravidar, até mesmo de um dos médicos que frequentei para tentar me tratar escutei que nunca poderia engravidar e aquilo me ca çausou uma grande frustração como mulher, mas ele estava enganado, ainda bem.

No primeiro ano de relacionamento, passamos por alguns perrengues da vida por força maior tivemos que nos mudar para outro estado, meu sogro estava sofrendo de câncer e fazia anos que meu marido não o via, aqui em Santos nossos empregos estavam uma merda e então decidimos buscar novos horizontes e unimos o útil ao agradável e lá fomos nós em busca de uma nova vida em Santa Catarina.

Passados três anos, um certo dia comecei a sentir fortes dores como cólicas e logo pensei, deve ser a monstra querendo descer, já fazia seis meses que estava sem menstruar devido ao meu problema ginecológico, sentia dores também nos seios, na hora de dormir era a pior hora, pois, quando me virava de um lado para o outro a sensação que tinha era de um 10 quilos de peso nos peitos, devido a isso me deu um estalo e pedi ao marcos para comprar um teste de farmácia, não imaginava no que poderia acontecer só quis fazer o teste porque alguma coisa me dizia para fazer. entrei no banheiro com um embrulho no estômago, fiz o xixi e esperei o resultado, conforme os minutos foram passando a minha ansiedade foi aumentando, quando apareceu as duas listras rosas não pude acreditar no que estava vendo e sai do banheiro totalmente perplexa, como poderia estar grávida se fazia 6 meses que não menstruava? essa era a pergunta que eu me fazia, o marcos mais ansioso que eu perguntou do resultado e eu olhei nos seus olhos e sorri e ele já sabia, nos abraçamos e choramos. Para não ficar nenhuma dúvida no mesmo instante corremos para achar uma médica que pudesse me atender e me dar a notícia da "certeza" que eu tanto esperava, mas as coisas não seria tão fáceis assim...

Chegando no consultório contei tudo para a médica, meu histórico ginecológico e tudo o que estava sentindo, ela com ironia olhou para mim e disse: Tá vendo aquele quadro com fotos de bebês ali? então, a maioria é tudo "ovário policístico" e fiquei perplexa e mais ansiosa ainda, logo em seguida ela pediu para eu deitar para poder me examinar, mexe dali mexe acolá e ela olha e diz: olha seu útero está um pouco inchado, você pode estar grávida sim mas para ter certeza vou pedir um exame de urina.lá fomo nós correr atrás de uma clinica que atendesse no mesmo dia (aloka) e não é que demos sorte, e o teste que ficou pronto no final do dia, uma beleza, chegando o horário corrermos para buscar o teste e voltamos para o consultório da médica, ela não nos atendeu, mas pediu os exames para ler enquanto atendia outra pessoa, imagina meu nível de stress e ansiedade, um silêncio se propagou entre eu e o marcos a espera da secretária com a nossas resposta, nessa altura a ansiedade nos consumia eu olhava para o marcos e ele para mim. minutos depois ela  volta e diz parabéns você está grávida e me entregou um outro pedido de exame, desta vez a  transvaginal para saber o motivo das minhas dores e saber se o bebê estava bem.

Nessa altura a emoção já era grande meu coração parecia que ia pular pela boca e não conseguia conter tamanha felicidade a toda hora beijava e abraçava o marcos, como aquilo poderia estar acontecendo comigo? eu pensava, nunca imaginei que meu sonho fosse se realizar (eu sempre penso nessas coisas) e não é que papai do céu realizou?! Fiz a transvaginal e estava tudo bem com o bebê, a médica disse que os motivos das minhas fortes cólicas é que meu organismo estava tentando expulsar o bebê, que para o meu corpo aquele era um objeto estranho e me passou um remédio para eu tomar para cessar as cólicas e não ocorrer um aborto, não contei antes porque lembrei agora, mas já sofri um aborto de gêmeos por isso a preocupação da médica e nossa.

Com cinco meses as cólicas voltaram e voltei a tomar o remédio, tive que tomar a gravidez inteira, não foi tranquila, sentia fortes dores, enjoos e não conseguia me alimentar, eu só conseguia pensar que meu bebê precisava nascer logo, não via a hora de chegar aos noves meses de gestação.
Meus oito meses finalmente chegaram e num sábado comecei a ter sangramentos, antes disso havia ficado diversas vezes internada por causa das fortes dores, lembro que da última vez antes dele nascer eu tinha ficado 14 dias internada e num sábado comecei a ter sangramentos e corri para o hospital, o sangramento não era significativo para um parto mas todo cuidado era pouco, fui medicada e voltei para casa, mesmo assim passei a noite em claro com dores e na manhã seguinte quando fui tomar banho comecei a ter um sangramento e liguei para o médico que pediu para voltar ao hospital preparada para a chegada do bebê. Chegamos ao hospital e o médico pediu para me examinar e logo me surpreendeu com a notícia que meu filho amado nasceria, a emoção era grande.

quando entrei no centro cirúrgico sabia que algo mágico aconteceria comigo, que a partir daquele dia algo ia mudar, não só na minha vida, mas na minha mente, no meu coração e estava certa, os minutos dentro daquela sala parecia eternidade pela ansiedade em vê-lo e quando escutei seu primeiro choro não conseguia conter aquele turbilhão de sentimentos a alegria era tanta que não cabia dentro de mim e cai em lágrima de felicidade em ser presenteada com o melhor presente que Deus podia nos dar, um filho.

Hoje o Arthur está com 3 anos, cheio de saúde e com um novo irmãozinho que logo contarei o relato da minha segunda gravidez por aqui.

 Você que está tentando engravidar não perca a esperança, Deus está em tudo, nas suas forças, nos seus pensamentos, escutando sua oração, não perca a fé!






Se inspire ainda mais

Nenhum comentário: